Ínicio > Gatos > Saude-felina > Sarna em gatos filhotes: como cuidar?

Sarna em gatos filhotes: como cuidar?

Sarna em gatos filhotes: como cuidar?

Notou que seu felino tem se coçado muito? Saiba que pode ser um sintoma da sarna em gatos — uma doença cutânea que ocorre quando um ácaro se instala na pele do animal. Essa condição pode acontecer em qualquer idade da vida felina, não isentando um gato filhote.

Sarna em gatos: como identificar?

É possível identificar a sarna em gatos por meio de sintomas como: 

  • Coceira
  • Feridas na pele
  • Irritação
  • Queda de pelos nas regiões afetadas pelo ácaro
  • Irritação e Mal-estar 

Estar sempre atento ao comportamento do gato ajuda a detectar doenças de uma forma mais rápida. 

Mas atenção: não existe somente um tipo de sarna, há várias espécies do ácaro causador da doença. Por isso, antes de iniciar o tratamento, é preciso identificar qual é o tipo de sarna a ser tratada.

Gato filhote com sarna: saiba identificar qual é o tipo! 

Quais tipos de sarna podem afetar o seu filhote de gato? Confira aqui: 

Sarna demodécica: conhecida também como “sarna negra”, essa espécie é causada por dois tipos de ácaros, o D. cati (ácaro que afeta os gatos que estão com a imunidade baixa e não oferece risco de contágio para nós ou outros animais); já a outra espécie, o D. gatoi, é contagiosa e provoca coceira em excesso. As principais lesões são na cabeça, além de coceira na orelha. 

Sarna notoédrica: costuma atingir felinos que vivem em condições de aglomeração (abrigos, rua etc). Dificilmente chega aos nossos amigos de casa, porém ao adotar um gato é sempre recomendado que leve-o ao veterinário antes de apresentar seu novo lar. 

A contaminação se dá por meio do contato direto e não estamos imunes a ela, assim como os cães também não. Por isso todo cuidado é pouco! Se detectar a ausência de pelos em áreas como cabeça, patas e orelhas, é melhor procurar um profissional. 

Sarna sarcóptica: a famosa “escabiose felina” é rara em gatos e mais comum nos cães. As regiões afetadas apresentam sintomas como vermelhidão, escoriações e crostas. 

Sarna otodécica: conhecida como sarna de ouvido, ela afeta as orelhas do pet — por dentro e por fora. É possível identificá-la por meio da secreção escura no ouvido, além da coceira, claro. 

Cuidado para não confundir a sarna otodécica com a otite em gato (infecção no ouvido), visto que os sintomas são muito parecidos. A sarna de ouvido não é uma ameaça para nós, mas, em contrapartida, é altamente contagiosa entre a espécie felina.

Como tratar sarna em gatos filhotes?

O tratamento de sarna em gatos filhotes costuma ser diferente do método recomendado para um gato adulto, isso acontece pois os filhotes são mais sensíveis e precisam de alguns cuidados especiais. 

Na maioria dos casos, banhos específicos são recomendados para resolver a situação, dispensando o uso de medicação. Indicamos que você leve seu pet para uma consulta com o veterinário — somente um profissional poderá dizer qual é o tipo de sarna que está afetando o animal e dar o diagnóstico correto.

A melhor opção é sempre a prevenção, não é mesmo? Atitudes simples podem fazer toda a diferença na saúde do seu felino, por exemplo: 

  • Evitar saídas do felino para a rua.
  • Evitar abrigos e lugares com acúmulo de gatos — são um risco para a saúde deles.
  • Manter o ambiente do pet sempre limpo e arejado, escovar os pelos e dar banho quando necessário.
  • Visite o veterinário regularmente. 

Mantenha a saúde do seu gato em dia, ele agradece! 💙

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Comentários - Sarna em gatos filhotes: como cuidar?

Anezia Rodrigues

Maravilhoso

Artigos Relacionados