Ínicio > Gatos > Comportamento-felino > Ansiedade também atinge os gatos

Ansiedade também atinge os gatos

Ansiedade também atinge os gatos

A ansiedade é um distúrbio muito comum em gatos. É um sentimento de medo e estresse em que muitas vezes a causa não é facilmente identificada. Esse distúrbio pode causar alguns problemas para os tutores e requer paciência para ser cuidado.

Os gatos são animais sempre alertas e muito apegados ao seu território, fazendo com que qualquer mudança neste possa ser perturbadora. A ansiedade nos gatos pode ser intermitente ou permanente e as causas são muito diversas:

  1. Aparecimento de uma novidade no ambiente do gato: móveis, outro animal, um bebê.
  2. Choque físico: queda, acidente automobilístico.
  3. Isolamento: saída de férias, falecimento do tutor.
  4. Manipulação excessiva (geralmente por parte das crianças): o gato não consegue descansar.
  5. Falta de socialização.

Apesar de algumas dessas situações parecerem inofensivas, podem ser estressantes para seu bichano. Quer saber alguns sinais que podem indicar que seu gato está ansioso?

Arrancar os pelos: o gato se lambe compulsivamente e arranca seus pelos, geralmente na barriga e nas coxas.

Distúrbios digestivos: o gato apresenta diarreia e alteração do apetite.

Automutilação: o gato se morde e se coça até sangrar.

Desânimo: o gato não se move, fica escondido em um canto.

Infecção do trato urinário: o gato urina com frequência, mesmo em quantidade menor, e até mesmo fora da caixa de areia.

Marcação: o gato urina ou arranha em lugares incomuns.

Se o seu gatinho apresenta alguns desses sintomas, fique atento pois ele pode estar ansioso. Procure seu médico veterinário para te auxiliar na busca da causa estressora, e reverter essa situação.

Alguns tratamentos para a ansiedade do gato:

Se a ansiedade não for tratada, ela pode piorar e evoluir para depressão.

Para remediar a ansiedade, você pode realizar uma terapia comportamental, ou seja, assim que a causa do estresse for determinada, associe-a ao prazer. Por exemplo, se o seu gato tem medo do som de buzinas, dê a ele uma guloseima sempre que ouvir um carro buzinar. Você também pode brincar com ele para distraí-lo.

Além da terapia comportamental, seu veterinário pode prescrever  ansiolíticos para auxiliar na diminuição dessa ansiedade. Esse tratamento medicamentoso dura cerca de 3 meses e deve ser combinado com a terapia comportamental para um efeito de longo prazo. Uma dica importante nessas situações em que ansiolíticos são usados é: aproveite que seu gato fica menos estressado para acostumá-lo aos poucos ao que o assusta.

Outra solução simples e eficaz para combinar com a terapia comportamental é o uso de difusores de feromônios que acalmam os gatos. Dessa forma, seu gato se sentirá seguro em seu ambiente, e você poderá introduzir uma mudança mais tranquilamente.

A ansiedade é, portanto, difícil de lidar, porém tem solução. Acostume seu gatinho a diferentes estímulos desde cedo para que ele seja confiante e supere seus medos mais facilmente. Brinque bastante com ele, mas também lhe dê momentos de sossego para que descanse um pouquinho e recupere as energias.

 

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Artigos Relacionados