Ínicio > Gatos > Comportamento-felino > ADAPTA??O E SOCIALIZA??O DOS GATOS. SAIBA COMO FAZER!

ADAPTA??O E SOCIALIZA??O DOS GATOS. SAIBA COMO FAZER!

ADAPTA??O E SOCIALIZA??O DOS GATOS. SAIBA COMO FAZER!

Gatos são extremamente territorialistas. Por isso, incluir um novo bichano em um ambiente onde já existe outro gato pode, muitas vezes, virar motivo de brigas, arranhões e muito estresse! Se você já tem um felino, mas quer adotar outro, o ideal é fazer um processo de adaptação entre os gatos. Vamos apresentar quais são os fatores que influenciam na socialização de um gato e quais as possibilidades existem para que um gato que é acolhido em uma casa, seja um animal dócil com as pessoas e com outros animais.

O que é socialização?

No caso dos gatos, a socialização significa aprender a confiar nos tutores e a não ter medo de pessoas ou animais estranhos. Por exemplo, os gatos devem aprender que às vezes as crianças fazem muito barulho ou que viajar numa caixa transportadora não é ruim. Neste processo os gatos também aprendem onde está a comida, a usar a caixa de areia e onde podem brincar e correr.

Nos casos de grande sucesso, os gatos aprendem isto tudo até os três meses de idade. Assim, é importante que o seu gato tenha contato com pessoas, outros animais, barulhos e odores o mais cedo e da forma mais positiva possível. Só assim é possível garantir que o seu pequeno felino vai ter uma vida feliz e tranquila.

A importância da socialização dos gatos.

Um gato não socializado adequadamente pode apresentar problemas de comportamento. Por exemplo, podem ficar muito tímidos, e ficar com medo ou nervosos facilmente. Podem também tornar-se agressivos quando se sentem ansiosos. Por vezes, estes sentimentos traduzem-se em comportamentos inofensivos, como morder a sua almofada. No entanto, podem surgir comportamentos que os tutores não aprovam, como por exemplo arranhar os móveis ou fazer xixi nos tapetes. Os gatos também podem reagir mal a pessoas estranhas e principalmente a outros gatos. Assim, para que a vida dos bichanos e da sua família humana seja o mais feliz possível, é muito importante socializar o seu gato.

Agora vamos colocar abaixo um passo a passo para a apresentação de um gato a outro.

1 – Gato novo, espaço novo.

Se temos um novo bichano em nossa casa, o melhor que podemos fazer é criar um novo espaço para ele. E você irá entender o quanto isso será importante.

É importante que neste espaço tenha todos os objetos que o novo peludo irá precisar: caminha, comedouro, bebedouro e demais objetos.

Neste momento de preparação, é muito importante que o gato residente na casa entre em contato com este novo espaço e possa cheirar, observar e entender que algo novo está acontecendo. Mas atenção: ele não poderá usar nenhum destes objetos.

2 – Apresentação gradativa, este é o segredo!

Quando o novo bichano chegar, a apresentação entre os 2 ou mais gatos deverá ser somente através do olfato. Sim, o cheiro é um sentido muito importante para os gatos e é preciso que um se acostume com o cheiro do outro antes que sejam colocados no mesmo ambiente. Então, ficarão separados através de uma porta. Se esta porta for de vidro, melhor ainda!

A reação dos gatos, vai demonstrar se esta adaptação será mais fácil ou mais difícil, caso eles demonstrem agressividade ao contato pelo cheiro.

Com o passar dos dias é importante inverter os espaços. Mas é muito importante neste momento que o gato residente se sinta o dono do espaço. Desta forma, o novo bichano deverá ser transportado numa caixa própria para que eles não se vejam completamente.

Faça também a troca de alguns objetos. Por exemplo: você poderá trocar os brinquedos ou paninhos de dormir entre eles, para que façam o que chamamos de “troca de cheiros”.

3 – Vamos associar o novo bichano a algo gostoso e prazeroso?

Agora que os dois gatinhos já estão bem acostumados com os cheiros um do outro, é a hora de associarmos esta chegada a momentos felizes e de prazer.

Aqui, colocamos uma prática que nos traz um resultado bastante positivo.

Vamos colocar a comida do gato residente na porta do cômodo do novo bichano, porém, separados por uma placa de madeira, ou algo assim. O objetivo é que você consiga enxergar os dois, mas eles ainda só se sintam através do cheiro.

Para que o gato residente fique ainda mais satisfeito, podemos fazer uso de ração úmida, algo que eles gostam bastante e que fará com que essa associação fique ainda mais prazerosa.

Faça isso por alguns dias.

Aqui podemos falar um pouco mais da importância e satisfação das rações úmidas:

https://www.maxtotalalimentos.com.br/dica-gato/alimentacao-felina/alimentos-midos-para-gatos-quais-so-os-benefcios1/

4 – Frente a frente. O momento mais esperado.

Nesta fase, é preciso que você esteja seguro de que os bichanos e principalmente o gato residente, estejam adaptados aos cheiros e à presença indireta um do outro.

Agora iremos colocar os dois gatinhos em suas caixas e frente a frente. Abra primeiro a caixa do gato residente para que ele cheire e veja o novo amigo.

Isto feito, é hora de abrirmos a caixa do novo gatinho. Neste momento eles devem se cheirar e podem até se estranharem de leve, caso isso ocorra, coloque um brinquedinho para alegrar o ambiente. Mas é muito provável que depois de todo este processo a amizade ou pelo menos o convívio aconteça de forma tranquila e amistosa.

Não force o contato caso um dos gatos tente fugir. As lutas de gatos são extremamente terríveis e devemos estar muito atentos aos primeiros contatos físicos.

Lembrando sempre que cada animal tem sua própria personalidade, e esta adaptação irá depender muito da aceitação do gato residente.

Por isso, é muito importante que estas etapas só sejam superadas após a real adaptação do “dono do pedaço”.

Lembre-se que cada bichano tem o seu tempo e isso deve ser respeitado.

 

E se não conseguir socializar o meu gato?

Nestes casos o mais recomendável será recorrer a ajuda de um profissional.

Ele irá entender mais detalhadamente sobre a história do problema do animal identificando quais as dificuldades e quais gatilhos específicos causam ou agravam o problema, além de traçar uma estratégia mais apropriada para o caso específico.

Não esqueça:

O tutor e toda a família são a chave para modificar, gerenciar o comportamento e as reações do animal de estimação. Em muitos casos, o ambiente também desempenha um papel importante no desenvolvimento e manutenção dos problemas de comportamento.

 

 

 

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Artigos Relacionados