Ínicio > Cães > Saude > MEU PET COMEU ALGO ESTRANHO. E AGORA?

MEU PET COMEU ALGO ESTRANHO. E AGORA?

MEU PET COMEU ALGO ESTRANHO. E AGORA?

Cães têm uma curiosidade natural e muitas vezes acabam ingerindo o que não devem.

A ingestão de objetos (corpos estranhos, como são denominados no meio veterinário) é uma ocorrência comum e o perigo para os animais de estimação é grande.

Os cães engolem mais objetos estranhos que os gatos, porque não são muito seletivos. Eles comem de tudo: bola de tênis, bola de golfe, osso, corrente, moeda, papel, pedaços de madeira, controle remoto, meia, roupas, lápis, rodapé, porta, carpete, poltrona, telefone celular, etc. A lista é muito longa e não é possível enumerar todos os objetos que já foram ingeridos por cães.

Apesar de bastante comum, essa ingestão de corpos estranhos pode se tornar um problema grave. Se o objeto não for pontiagudo e for ingerido por um cachorro grande, provavelmente será eliminado através das fezes sem maiores problemas.  Mas, em alguns casos, pode acontecer do objeto se alojar em alguma porção do trato gastrointestinal que seja mais estreita e o animal não conseguir eliminá-lo. Nesses casos, o trato gastrointestinal fica obstruído e o animal começa a apresentar sintomas.

 

Quais os sintomas observados?

– Perda repentina de apetite e apatia.

– Vômitos.

– Salivação excessiva.

– Cólicas.

- Distensão abdominal.

- Dificuldade de defecar.

- Gazes, aspecto diferente das fezes ou presença de fragmentos de corpo estranho nas fezes ou no vômito.

É importante lembrar que nem todos os animais que sofrem obstrução gastrointestinais parecem estar doentes (pelo menos no princípio). Alguns têm bom apetite e continuam a agir como se nada estivesse errado, até que começam a vomitar com frequência, mas mesmo este sintoma pode demorar a aparecer.

A obstrução também pode ser parcial e, nesse caso, o animal não vomita toda vez que come. Alguns alimentos (principalmente alimentos moles, como as comidas enlatadas) podem passar normalmente pelo sistema gastrointestinal no caso de uma obstrução parcial.

 

Diagnóstico

Uma história completa é importante no diagnóstico de um corpo estranho gastrointestinal, incluindo o desaparecimento de algo na casa (brinquedo, meia etc). Geralmente o diagnóstico pode ser fechado com um exame de imagem (rx ou ultrassom). Nem sempre o corpo estranho pode ser identificado pelo rx, como no caso de plásticos e tecidos. Assim, o exame de ultrassom pode auxiliar no diagnóstico ao identificar movimentos anormais, sombras e sinais de obstrução.

Já a endoscopia tem indicação quando o corpo estranho está no estomago, servindo inclusive para a sua remoção, quando for possível.

 

Tratamento

O tratamento depende da localização do corpo estranho.  Se ainda está no estômago, algumas vezes pode ser removido por via endoscópica. Caso esteja no intestino, pode ser monitorado para saber se está progredindo junto com as fezes e caso esteja parado ou obstruindo o intestino, deve ser removido cirurgicamente. No caso de corpo estranho linear, muito comum em gatos que engolem fios, o tratamento é exclusivamente cirúrgico.

A melhor forma de se evitar que o animal ingira um corpo estranho é, simplesmente, não permitir o acesso a esses materiais. Nunca deixe coisas espalhadas pela casa.

Em casas onde moram crianças, recolha sempre os brinquedos, pois cães e gatos também adoram brincar e podem acabar engolindo objetos. Alguns cachorros, quando estão sozinhos na casa, devem ficar confinados a um espaço onde não possam arrumar problemas.

Filhotes são especialmente arteiros, e devem ser confinados sempre que não estejam supervisionados, pelo menos até que tenham treino suficiente para ficarem seguros.  Latas de lixo devem estar sempre bem tampadas e longe do alcance dos animais de estimação.

Em caso de suspeita de corpo estranho entre imediatamente em contato com o Médico Veterinário.

 

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Artigos Relacionados