Ínicio > Cães > Historias-que-nos-emocionam > Animais abandonados. Várias formas de ajudar.

Animais abandonados. Várias formas de ajudar.

Animais abandonados. Várias formas de ajudar.

Se você chegou até este texto você já é uma pessoa que pensa no bem-estar e na vida dos animais abandonados.

O problema do abandono de animais no Brasil é enorme e nesse momento de crise, ficou ainda pior.

A OMS estima que existam no país cerca de 10 milhões de gatos e 20 milhões de cães abandonados.

Mas, ainda que você não consiga adotar um cão ou um gato, há inúmeras formas de fazer a diferença na vida deles.

A expectativa de vida de um animal que vive nas ruas pode ser até três vezes menor do que a de um animal abrigado em um lar.

Quando um animal é resgatado das ruas, geralmente é por alguém que tem ou trabalha em um abrigo ou em uma ONG. Estas pessoas são cidadãos comuns, que trabalham, estudam, pagam suas contas, mas que se sensibilizam com o sofrimento de um animal e arregaçam a manga para ajudar.

No geral, novos acolhimentos em abrigos só são possíveis quando acontecem adoções. Antes disso, este animal fica esperando pela adoção, mas até lá, precisa de cuidados como alimentação, medicação, higiene, etc. Essas tarefas geram gastos e muitas vezes estes abrigos e ONGs não conseguem arcar com todos estes custos.

Por isso, é importante dizer que mesmo quem não tem intenção de adotar pode fazer algo para melhorar a vida de um peludo de rua ou de um abrigo. Existem inúmeras formas. Confira algumas:

Apadrinhamento

O apadrinhamento é uma forma dos protetores ou abrigos conseguirem recursos para ajudar nos gastos com cada animal. Nesse caso, basta escolher um dos peludos ainda não adotado e assumir o envio de ração, medicamentos, ou uma contribuição em dinheiro, que pode ser mensal ou pontual. Dessa forma, além de contribuir para o bem-estar do animal, a pessoa estará aliviando os gastos do protetor e possibilitando novas ações.

Lar temporário

Essa é uma das ajudas mais necessárias. Nas redes sociais de protetores é comum ver as pessoas pedindo por um LT (lar temporário). Acontece que quem resgata um animal em situação de abandono ou ferido, muitas vezes, não tem onde deixá-lo e acaba precisando de um lugar para mantê-lo durante o tratamento e/ou até que ele seja adotado.

O lar temporário entra nessa hora. A pessoa disposta a ajudar oferece um lugar em sua casa para abrigar o cãozinho ou gato por alguns dias ou meses. Pode ser somente o tempo de o animal terminar o tratamento médico, se recuperar de uma castração ou tomar todas as vacinas. O período é sempre acordado com a pessoa responsável pelo cão ou gato.

Existem dois tipos de lar temporário: o pago e o solidário. No primeiro, quem oferece LT recebe um valor do protetor. Já no segundo caso, a pessoa recebe o animal por amor, sem cobrar nada. O gasto com ração, medicamentos e areia (no caso de gatos) pode ser bancado por quem resgatou ou ser assumido por quem abre a casa para o animal. Isso é acordado entre o protetor e a pessoa que acolhe.

Castrar um animal de rua

A castração é uma das formas mais importantes de reduzir o número de animais de rua e a única maneira ética e eficaz para o controle da reprodução.

O uso de contraceptivos injetáveis são extremamente prejudiciais, podendo causar doenças graves como câncer, entre outros problemas de saúde.

Em diversas cidades, há programas de castração gratuita permanente. Em São Paulo, por exemplo, todo munícipe pode castrar até 10 por dia animais sem custo algum. Basta fazer um cadastro, aguardar datas de castração e levar o animal no dia marcado.

Você poderá resgatar este animal e levá-lo para alguma Clínica Veterinária e custear este procedimento para o animal ou ainda procurar abrigos ou ONGS e apadrinhar a castração de algum animal.

É importante destacar que no caso de resgatar um animal abandonado para castrá-lo, você precisa se sentir capaz de cuidar do animal no pós-cirúrgico por alguns dias, pois ele irá necessitar de alguns cuidados.

O veterinário que castrou o animal vai te dar todas as orientações de cuidado, siga todas à risca. Você precisará dar lar temporário para esse indivíduo pelo menos por duas semanas, então se programe direitinho para isto.

*Para vagas de castração gratuita na sua cidade, consulte a prefeitura do seu município.

 

Divulgação nas redes sociais

Outra forma bem simples, mas que ajuda muito, tanto um animal que está em um abrigo quanto um de rua, é a divulgação. Tire boas fotos do animal, compartilhe o máximo possível, peça ajuda para os seus amigos, e compartilhe nos grupos locais da região e em grupos de apoio aos animais.

Ao compartilhar as fotos e a história dele em suas redes sociais, você amplia muito as chances de encontrar um adotante. É um trabalho fácil, que todos podem fazer, sem nenhum custo.

Ração de presente de aniversário

Outra forma bem interessante de ajudar os animais é pedir, no lugar de um presente comum, no seu aniversário, ração para cães e gatos. Dessa forma, além de ajudar os animais, você também estará levando uma mensagem de conscientização para o seu grupo de amigos e dando uma oportunidade para que cada vez mais pessoas se envolvam em uma ação social.

Aí foram várias dicas práticas para que todos consigam ajudar um animal de rua.

 

Queremos deixar aqui um importante recado!

O abandono da população de animais de rua é responsabilidade de todos, não só do poder público, mas também da sociedade. Com uma sociedade consciente, ativa e um poder público que faça a sua parte e que seja cobrado por esta sociedade, podemos ter certeza que conseguiremos ajudar milhares de animais e diminuir cada vez mais estes números tão altos de abandono de animais.

 

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Artigos Relacionados