Ínicio > Cães > Higiene > Micose de cachorro: como tratar?

Micose de cachorro: como tratar?

Micose de cachorro: como tratar?

Os cachorros geralmente tem o costume de se coçar, mas todo cuidado é pouco, pois nem sempre isso é normal. Algumas doenças de pele são responsáveis por causar a coceira, no caso da micose isso também acontece. Porém a verdade é que a micose de cachorro não provoca coceira, o que desencadeia esse comportamento é a alergia que o cão tem ao fungo que causa a doença.

Micose de cachorro: como identificar?

As micoses de pele são doenças causadas por fungos — eles estão presentes em plantas, na pele e pelos dos animais também. É contagiosa e diversas espécies de animais podem contrair a doença, inclusive os cachorros. 

micose de cachorro mais comum é conhecida como “Tinha” e é causada pelo fungo Microsporum, transmitido pelo contato direto com cães infectados ou por meio do compartilhamento de objetos com um animal que já possui o fungo. Essa espécie não afeta somente os animais: nós não estamos imunes a ela.

Há outros dois tipos de fungos que causam a doença, são eles:

Os sintomas da micose em cachorro incluem:

As regiões mais afetadas pela micose geralmente são as patas, rosto, cauda e pernas (parte interior).

Tratamento para micose de cachorro

tratamento para micose de cachorro costuma ser simples, porém longo em alguns casos — vai depender do estágio da doença. Quando a lesão é isolada, recomenda-se o uso de pomadas e cremes fungicidas como forma de tratamento, mas, para que seja eficiente e elimine de vez a micose, é essencial que seja feito em todo o corpo do cachorro para garantir que o fungo não afete outras regiões. 

Lembre-se: somente um veterinário poderá diagnosticar e recomendar o tratamento correto, OK?

  • Microsporum gypseum: a contaminação pode ocorrer em situações cotidianas, como quando o cão fareja o chão. Por isso mantenha o ambiente sempre limpo e escolha bem os lugares para passeio.
  • Trichophyton mentagrophytes: é transmitido pelo contato com ratos contaminados.
  • Lesões circulares
  • Queda de pelos
  • Crostas
  • Pele avermelhada e, em alguns casos, lesões avermelhadas no focinho também

 

Em casos mais graves, onde há diversas lesões e o uso de pomadas não surte efeito, um profissional capacitado indicará antimicóticos de via oral, pois o tratamento deverá ser feito de forma mais “agressiva” para erradicar os fungos ali presentes. 

Como a micose de pele também pode ser transmitida para nós, é muito importante que todas as pessoas que convivem com o pet se projetam usando luvas ao ter contato com o cachorro e mantenham a higiene em dia para não se contaminarem.

Artigos Relacionados