Ínicio > Cães > Comportamento > PSICOLOGIA CANINA

PSICOLOGIA CANINA

PSICOLOGIA CANINA

COMO ELA PODE AJUDAR SEU CÃOZINHO?

Sim, é possível levar o animal de estimação a um médico veterinário especializado.

A psicologia canina trata de compreender o comportamento dos cães e trabalhar com essa informação. Estes profissionais atuam como tradutores e oferecem dicas e recomendações específicas para fortalecer a relação de confiança entre animais e tutores e melhorar a comunicação de forma permanente.

O especialista geralmente entra em ação quase sempre pelas mesmas razões: agressividade ou problemas relacionados com a separação dos donos. 

É frequente que um suposto mau comportamento de um cão seja baseado apenas no desentendimento entre animais e humanos.

A primeira consulta costuma ser essencial para se perceber o perfil do animal  e também costuma ser mais longa: pode demorar entre uma hora e meia a duas horas. O importante é saber todas as rotinas do cão e as suas motivações, para depois poder trabalhar a parte emocional que leva à alteração comportamental.

O ideal é optar o máximo possível por métodos naturais e graduais de relaxamento, de forma que seja possível ganhar a confiança do animal e levá-lo a adotar outro tipo de postura.

Porém, existem situações em que não é possível seguir estes métodos apenas e o especialista pode prescrever medicamentos ansiolíticos. Isto ocorre, sobretudo, quando o nível de ansiedade é mais elevado do que o habitual.

O número de consultas será definido através da evolução do cão e até que a situação seja normalizada. É sempre estabelecido um plano com objetivos específicos. A duração dependerá muito dos problemas e das dificuldades do animal.

Em que casos a psicologia canina pode ser útil?

Nos casos em que o seu cão:

  • Latir, rosnar ou mostrar agressividade na presença de crianças, ciclistas ou outros cães;
  • Destrua mobiliário na sua casa;
  • Esteja muito assustado ou ansioso;
  • Fique latindo incontrolavelmente;
  • Puxe a guia com muita força e sem parar;
  • Se mostre ansioso perante a ideia de não estar perto do dono.

Os cinco princípios da psicologia canina:

  1. O cão nunca deve obedecer por medo, mas sim por fazer associações positivas com comandos;
  2. A violência não tem lugar no treino nem na psicologia canina;
  3. Um cão necessita de comandos claros e de uma hierarquia bem definida;
  4. Recompensas em forma de snacks e experiências positivas, como os elogios, moldam o animal e conduzem aos comportamentos desejados;
  5. paciência é uma virtude essencial na psicologia canina.

 

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Artigos Relacionados