Ínicio > Cães > Comportamento > ANIMAIS REFLETEM ESTADOS EMOCIONAIS DOS TUTORES?

ANIMAIS REFLETEM ESTADOS EMOCIONAIS DOS TUTORES?

ANIMAIS REFLETEM ESTADOS EMOCIONAIS DOS TUTORES?

Os cães são sensíveis aos estados emocionais dos seus donos e podem imitar as suas emoções. Tanto podem refletir a ansiedade e as emoções negativas dos humanos, como podem ajudar a lidar com o stress.

Todos nós já ouvimos dizer que os cães desenvolvem uma personalidade parecida com a dos tutores. Se o seu animalzinho é brincalhão, nervoso ou calmo, saiba que isso pode estar relacionado com o seu jeito de ser, mas eles – os animais de estimação- também podem influenciar na personalidade dos seus tutores. Interessante isso, não é?

Um estudo divulgado recentemente na publicação científica PLOS ONE revelou que os cães conseguem espelhar algumas emoções dos humanos, como ansiedade e emoções negativas. No entanto, quando são mais tranquilos e relaxados, esses animais de estimação podem passar estas características de personalidade aos seus tutores e ajudá-los a lidar com o stress.

O que mostraram os Estudos Internacionais:

Para realizar o estudo, os investigadores recrutaram 132 tutores e seus respectivos cães. Os exames realizados incluíram medições do batimento cardíaco e resposta a possíveis ameaças. Foram também recolhidas amostras de saliva para medir os níveis de cortisol, o hormônio que regula a resposta do nosso organismo ao stress.

Após as análises, os tutores foram classificados de acordo com as características da sua personalidade: estressados, extrovertidos, abertos a experiências, amáveis e conscientes. Ainda para o estudo, os tutores responderam a um questionário sobre os seus animais de estimação, sendo que os cães também foram avaliados quanto à sua personalidade.

Na análise dos dados, os cientistas verificaram que tanto os cães como os tutores influenciavam nos mecanismos de imitação, sendo que os humanos exerciam nos seus animais uma influência maior do que a recebida.

Iris Schoberl, líder do estudo na Universidade de Viena, Áustria, explicou que os “resultados comprovam aquilo que vivemos na prática: cão e o seu dono são pares sociais e influenciam-se um ao outro na maneira como lidam com o stress, mas o ser humano se mostrou mais influente do que o cão”.

O estudo foi publicado na revista científica online PLOS ONE.

 

Escreva um Comentário

Avalie o post: *

Artigos Relacionados