Ínicio > Gatos > Lar-doce-lar > Vai se mudar? Dicas para adaptar seu gato ou cão à casa nova

Vai se mudar? Dicas para adaptar seu gato ou cão à casa nova

Vai se mudar? Dicas para adaptar seu gato ou cão à casa nova

Se uma casa nova é uma experiência que mexe com o dia a dia dos humanos, não é diferente pros animaizinhos. O novo ambiente precisa ser explorado e, pra todo mundo, é preciso um tempinho pra se adaptar e sentir a nova casa como um verdadeiro lar doce lar. E isso é o que a gente mais quer, né? Por isso, precisamos ficar atentos no que fazer em momentos assim.

 

Nesse espaço desconhecido, a readaptação dos nossos amiguinhos começa pela novas demarcações de território e reconhecimento de cheiros e sons, já que tudo o que antes era rotineiro deixou de existir. Dessa forma, o bichinho precisa ser reeducado como se fosse, de novo, um filhotinho, e nessa hora é muito importante que o tutor tenha postura de líder - para que todas as etapas dessa adaptação sejam aceitas pelo animal com mais obediência e menos estresse.

 


 

A liderança vai ser como um porto seguro para a bolinha de pelo, que mais do que nunca precisa da nossa presença e do nosso carinho. Mas isso não é sinônimo de ter que dormir com ele, por exemplo, situação inclusive que pode atrapalhar no processo. A dica é manter uma certa independência para que o cão ou o gato possa explorar e, ao mesmo tempo, não se sentir abandonado.


Mas antes da exploração do novo ambiente, medidas preventivas precisam ser tomadas (isso quer dizer antes mesmo da mudança ser efetivada). Fique de olho se existem pontas de pregos ou parafusos proeminentes ou coisas que possam ser cortantes pelo chão ou ao alcance deles, evitando possíveis machucados desnecessários. Veja também se não há buracos nos muros ou se o espaçamento entre as grades não facilita aquela escapadinha. Já para os moradores de apartamento, existe algo que não se pode abrir mão de jeito nenhum, redes de proteção em todas as janelas.

 

Feito isso, o que fazer na hora do vai e vem de caixas e afins?


Separe um ambiente temporário isolado na nova casa para colocar o cão ou o gato, onde também vai ficar as suas seus coisinhas, bem como água e alimento. Esse espaço reservado deve ser mantido durante os primeiros dias. Uma boa recomendação é tentar reproduzir algo que se pareça com a casa antiga, deixando objetos que ele conheça e ame por perto. Durante as horas da mudança, o recomendado é que o bichinho fique na própria caixa de transporte.


E quando passada essa fase mais crítica?


Tente, se possível, manter as rotinas que tinha na casa anterior. Isso faz com que tudo pareça estável, principalmente no que diz respeito aos horários e quantidade de refeições. Procure também manter os mesmos horários dos passeio, escovação e exercícios, combinado?


Apesar de preciosa, a próxima dica pode ser a que as pessoas não dão tanta importância, por parecer algo simples e "bobo": Use o mesmo pedaço de pano de algodão que você tenha passado pelo corpo do animal em móveis, paredes e portas da casa. Faça isso até perceber que ele já está se esfregando nesses lugares.


Outras coisas podem ser feitas para complementar a adaptação. Tentar associar o ambiente desconhecido com algo prazeroso, seja com um petisco diferente ou um novo brinquedinho. No caso específico dos cães, vá mostrando a casa nova aos poucos e deixando-o cheirar tudo enquanto você caminha com ele na guia. Aproveite o momento para levá-lo aos arredores da casa, para que ele se acostume com a região e a reconheça caso fuja um dia.


Criar um ambiente seguro e tranquilo é o que se deve ter em mente. Respeite o processe e garanta a melhor adaptação possível ao seu lindão. Tente não mexer ou ficar limpando a área inicial onde estão as coisas do cão (cama, caixa de transporte, potes etc.), afinal, esse cantinho estará com o cheiro dele e funcionará com um porto seguro durante o período de adaptação. E pronto! Casa nova, mas com o mesmo amor de sempre!

Artigos Relacionados