Ínicio > Gatos > Lar-doce-lar > Gatos e Crianças

Gatos e Crianças

Gatos e Crianças

Quais os benefícios e cuidados quando os dois convivem juntinhos.
 

A dúvida sobre a melhor idade para que a criança comece a ter contato com os animais de estimação é constante. No caso dos gatos, por serem animais com instintos aguçados, há todo um universo de dúvidas e especulações.


Conheça os maiores benefícios e os cuidados necessários no convívio de crianças e gatinhos.


Os benefícios são muitos. Torna a criança mais sociável e aguça o senso de responsabilidade desde cedo, reduz o estresse e a ansiedade, induz às brincadeiras mais ativas, combatendo o sedentarismo, reduz a solidão, entre outras coisas. Já foi provado cientificamente, inclusive, que conviver com gatos desde muito cedo ajuda o sistema imunológico da criança a ficar mais preparado e evita o aparecimento de alergias.


Quanto a idade, não há uma idade certa para começar esse convívio. Até mesmo casas com recém nascidos podem ter gatos, contanto que o contato do animal com a criança seja sempre supervisionado com o máximo cuidado, para a segurança de ambos ser garantida.


gato e crianças

Crianças de qualquer idade podem ter contato com os animais.

 

A raça também pode ser variada, o que tem que ser observado é se o gatinho não é agressivo ou muito assustadiço. Raças naturalmente mais tranquilas podem ser boas escolhas, pois esses animais têm mais tolerância com barulho e contato físico.


Para evitar os arranhões, sustos e tornar o convívio mais pacífico, há algumas atitudes que podem ser tomadas, como o treinamento. Como as crianças pequenas têm o hábito de tocar, apertar, puxar e abraçar com força, é essencial que elas sejam orientadas a não fazê-lo e repreendidas sempre que fizerem. Assim como o gatinho, que também deve ser repreendido quando fizer algum movimento que possa machucar a criança.


ração para gatos

Treinar o gato pode ajudar a controlar os instintos de reagir aos toques mais bruscos das crianças.

 

Outra saída para treiná-lo melhor é tocar e acariciar as partes mais sensíveis, que as crianças costumam tocar, como as orelhas, patas e o rabo do gatinho, e associar as carícias a algo bom, como petiscos. Assim o gatinho não vai se assustar ou associar o toque da criança com ameaça ou agressão.


Agora que já sabe como proceder é só colocar os dois para se conhecerem e serem felizes juntinhos, porque quanto mais cedo se aprende a amar os animais melhor.

Artigos Relacionados