Ínicio > Cães > Saude > Saiba TUDO sobre a raiva canina!

Saiba TUDO sobre a raiva canina!

Saiba TUDO sobre a raiva canina!
Uma das principais e mais conhecidas zoonoses é a raiva canina. Essa doença merece atenção especial porque, além de contaminar um cãozinho, pode ser transmitida para humanos, através da mordida de um cachorro infectado. Todo cuidado é pouco, pois na maioria das vezes, o contágio pode ser fatal.
 
A raiva é causada por um vírus que atinge primeiramente o sistema nervoso do peludinho, em seguida, afeta as glândulas salivares provocando a conhecida salivação excessiva, que é a principal característica da doença. Devido a sua gravidade, a raiva canina é uma doença quase que erradicada no Brasil, mas mesmo assim merece toda a sua cautela.
 
O principal contágio, do cãozinho para o homem, ocorre através da mordida e os sintomas podem demorar até dez dias para aparecer. Em pessoas, a zoonose invade o sistema nervoso central e se instala no cérebro, causando a encefalite – um tipo de inflamação no cérebro.
 
O que acontece quando uma pessoa contrai o vírus da raiva?
 
A manifestação dos sintomas pode demorar a aparecer, mas quando há o avanço do vírus no corpo, a pessoa infectada passa a apresentar sinais de confusão, agressividade, dificuldade de engolir, desorientação, salivação excessiva e paralisia motora. Grande parte acaba falecendo depois do diagnóstico.
 
E como funciona a raiva canina no cãozinho?
 
Quando os cães são infectados pela zoonose, ocorre um processo de incubação que dura de 3 a 6 semanas. Os sintomas passam a ser perceptíveis quando chega a segunda fase, conhecida como pródromo, quando os animais se tornam desobedientes, arredios e comem em menor quantidade – inclusive, ingerem objetos incomuns, como a madeira e a palha.
 
Os cãezinhos apresentam duas formas de raiva: furiosa e muda.
 
Furiosa
A furiosa é quando os peludos apresentam o humor agressivo e têm grande tendência a morder objetos, a si mesmo e o tutor – muitas vezes mordem tão forte que chegam a provocar ferimentos graves. O famoso dito popular de que o cão raivoso é aquele que saliva bastante é verdadeiro porque, assim como ocorre com os humanos infectados, os cães também sentem dificuldade de engolir.
 
O latido passa a ter o tom rouco ou bitonal em razão da paralisia parcial das cordas vocais do lindinho. Eles também podem abandonar o lar e percorrer grandes distâncias, aumentando a possibilidade de ataque a outros cães e, consequentemente, a disseminação do vírus.
 
Na fase final, ocorrem convulsões generalizadas, seguidas de paralisia motora e dos membros. O óbito acontece depois de 4 a 7 dias da manifestação dos sintomas.
 
Muda
A raiva muda tem fase de excitação curta ou até mesmo imperceptível, mas nela predominam os sintomas paralíticos. O que pode ser notado são os quadros de paralisia dos maxilares, o que dificulta o diagnóstico da raiva no cachorrinho.
 
 
 
Como evitar?
 
É neste momento que a diferença começa com você: a forma mais eficaz de combater a raiva é vacinando o seu cachorrinho anualmente, desde o 4º mês de vida. Outras precauções podem ser tomadas, como: manter o quatro patas dentro de casa, pois o contato com animais infectados pode ser inevitável; fazer a castração do fofuxo para evitar a super população de cães na rua; não fazer carinho em um animal que você não conhece, para evitar mordidas.
 
O tratamento contra a raiva é ineficaz, pois quando o cãozinho é infectado não há chances de reverter o quadro, existindo somente tratamentos que aliviam os sintomas, mas sem a cura.

 

Artigos Relacionados